Balança Comercial de Pescado – Novembro de 2013

Prezados Associados, segue em anexo algumas informações concernentes à Balança Comercial de Pescado do Brasil no período de Janeiro a Novembro de 2013.
Fazendo uma breve análise dos números obtidos junto ao Aliceweb/MDIC, referente ao mês de Novembro/2013, vimos com o propósito de levar aos nossos Associados e demais atores envolvidos com a aquicultura/carcinicultura brasileira, ressaltar algumas informações, principalmente, no que tange ao comportamento da evolução da nossa Balança Comercial de Pescado, destacando de um lado, o pífio desempenho das exportações e, de outro, os crescentes e preocupantes números das importações.
DESEMPENHO DAS EXPORTAÇÕES DE PESCADO DO BRASIL JAN/NOV:
VOLUME E VALOR 2003 – 2013
Depois de se verificar uma vertiginosa queda das exportações brasileiras de Pescado entre os anos de 2003 e 2008, quando decaímos de 104 mil toneladas para algo em torno de 44 mil toneladas, no período de Janeiro a Novembro, o país, a despeito da criação do MPA em 2009, segue apresentando, o mesmo pífio desempenho nas suas exportações de pescado, com um volume, no acumulado de Janeiro a Novembro de cada ano, na casa das 30-35 mil toneladas anuais.
Em relação direta com o volume exportado, as movimentações financeiras mantêm, desde 2009, a mesma estabilidade, na casa dos US$ 215 milhões (acumulado de Janeiro a Novembro). Em 2013, seguindo a tendência de melhoras no câmbio, embora o volume exportado tenha decaído de 38,5 para 34,2 mil toneladas em relação a 2012, o valor das exportações apresentou leve incremento financeiro.
Também de acordo com os números obtidos na Aliceweb/MDIC em Dezembro de 2013, referentes ao mês precedente, destaca-se e continua sendo motivo de comemoração para o setor da carcinicultura, a retomada das exportações de camarão pelo Brasil, que de Agosto a novembro de 2013 atingiram 588 toneladas e US$ 3,9 milhões. Cabe ressaltar que a retomada das exportações de camarão cultivado, se deu a partir do mês de Agosto, sendo que os estados do Rio Grande do Norte e do Ceará, foram os únicos Estados que voltaram a exportar até novembro de 2013, comercializando 329 e 259 toneladas, respectivamente.
Neste ponto, acreditamos serem pertinentes algumas reflexões acerca da comercialização de camarão no Brasil. Se por um lado o camarão produzido e exportado pelo país atingiu US$ 3,9 milhões de Dólares de transações comerciais, com um volume equivalente a 588 toneladas, o preço médio do camarão exportado foi de US$ 6,63 Dólares/Kg. Por outro lado, as importações de camarão da Argentina pelo Brasil, que ocorreram antes da Liminar do TRF 1ª Região, que proibiu a continuidade dessa operação, em 20/10/13, apresentaram um preço médio de US$ 14,50/Kg (sendo o preço médio do Camarão Inteiro e Congelado de US$ 12,21/Kg e o preço médio de Camarões sem cabeça, congelados, foi de US$ 15,22/Kg). Ou seja, o Brasil, importou camarão pelo preço médio de US$ 14,50/Kg (219% em média mais caro) do que seu camarão exportado para a França (US$ 6,63), evidentemente que o tipo e a classificação são bem diferentes, mas a pertinência do destaque foi em função da imatura justificativa do MPA, para justificar sua decisão de liberar a importação do camarão da Argentina.
Assim, a argumentação do MPA de que o camarão importado da Argentina serviria para “arrefecer” o preço do camarão produzido no Brasil e disponibilizar ao consumidor brasileiro um camarão mais barato, foi por água abaixo, demonstrando assim que os preços praticados pelos produtores de camarão do Brasil são mais que competitivos seja no mercado doméstico, seja para o mercado externo.
E, ainda, ratificando a assertiva supra aludida, cabe destacar que já há procura pelo camarão produzido no Brasil por empresas dos maiores países produtores, como Tailândia (segundo maior produtor mundial de camarão e primeiro exportador mundial) e Vietnã (terceiro maior produtor e segundo maior exportador). Tal fato sinaliza que a retomada das exportações brasileiras de camarão, pode se consolidar em 2014, tendo presente que o camarão brasileiro sempre ocupou uma posição de destaque junto aos principais e mais exigentes mercados importadores de camarão cultivado da Europa.

AS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE PESCADO
Entre os anos de 2003 e 2013, as importações brasileiras de pescado, no período de Janeiro e Novembro, subiram de 137 mil toneladas e US$ 182 Milhões (2003), para 383 mil toneladas e US$ 1.3 bilhão de Dólares (2013).
Nos primeiros 11 meses de 2013, o Chile, a China, o Vietnã, a Argentina, o Marrocos e a Noruega se destacaram como os maiores exportadores de Pescado para o Brasil, cujo volume (295 mil toneladas) e valor (US$ 1.027 Bilhões de Dólares), corresponderam a 77,1% e 79,01%, respectivamente.
O Chile, no cômputo geral das exportações para o Brasil, ultrapassou a China em valor exportado, muito embora o gigante asiático tenha mantido sua liderança em volume nas exportações para o Brasil, cujo volume de 85 mil toneladas correspondeu a 22,26% do total importado pelo país, representando um valor de US$ 445,5 milhões.
Em relação às importações de Pescado da China o destaque é para o fato de que esses números apontam um incremento de 990,17% em volume e 676,36% em valor, em relação ao mesmo período do ano de 2009.
A mesma análise, desta feita em relação ao Vietnã, impressiona ainda mais, uma vez que houve um incremento de 1.409,15% em volume e 1.466,83% em valor, em relação ao mesmo período do ano de 2009. Destacando-se ainda, que no ano de 2008 não havia importações de Pescado do Vietnã pelo Brasil.
Em relação à Argentina, quarto maior exportador de Pescado para o Brasil, os sete principais produtos comercializados em 2013 sequer eram adquiridos pelo Brasil, do país platino, em 2011. Tais produtos (vide slide Nº 10) somam 29,65 mil toneladas, o que representa 86,4% em volume e 91% em valor, em relação ao mesmo período de 2012. Os comentários acerca das importações de camarão da Argentina pelo Brasil já foram feitos na parte inicial deste documento.
Por fim, demonstra-se no penúltimo “slide” do presente Boletim que ora segue em anexo, a evolução das importações de Pescado pelo Brasil de quatro grandes produtores mundiais de frutos do mar: China, Vietnã, Equador e Tailândia.
No Gráfico, se percebe que estes países ano a ano vem incrementando de forma substancial suas exportações de pescado para o Brasil, sendo o Vietnã o caso que mais chama a atenção, pelo fato de até 2008 não havia registrado nenhuma exportação, de qualquer tipo de pescado para o Brasil. No entanto, de janeiro e novembro de 2013, o Vietnã já exportou para o Brasil 49,5 mil toneladas de Pescado, o que corresponde a um valor de US$ 98,71 milhões.
A todos a ABCC deseja uma boa leitura/avaliação crítica dos dados,
Cordialmente,
Marcelo Borba
Engº de Pesca/ Consultor da ABCC

balança comercial – novembro de 2013