Cultivo do Camarão – Publicado 11 de Outubro 2011

Indefinições da lei inibem avanços
camarao_1
Produzido no Ceará, o camarão Costa Negra é o único que tem área geográfica reconhecida pelo INPI
DIVULGAÇÃO
Produtores cearenses de camarão em cativeiro aguardam a definição do código florestal para ampliar investimentos

Com perspectivas de produção de 25 mil toneladas de camarão de cativeiro este ano, no Ceará, e com demanda no mercado interno de, pelo menos, o dobro dessa quantidade, carcinicultores cearenses lutam pela regulamentação de licenças ambientais e pela definição do novo Código Florestal Brasileiro, para que possam investir mais no setor. “A indefinição jurídica inibe o investidor, e, consequentemente, o crescimento da carcinicultura”, alerta o empresário Livino Sales, presidente da Associação dos Carcinicultores da Costa Negra (ACCN).

Segundo ele, há mercado consumidor crescente no País, potencial de produção, áreas para criação e selo de qualidade referenciada no Ceará, mas por indefinição dos órgãos de licenciamento ambiental federal e estadual, notadamente, Ibama e Conpam, o setor segue avançando, mas aquém do potencial produtivo. “O crescimento (da produção) não ocorre por falta de licenças ambientais”, reitera Livino Sales

Costa Negra

O empresário lembra que o Ceará é o único Estado brasileiro que tem uma área geográfica reconhecida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial ( INPI), ao cultivo de camarão marinho, da espécie Liropenaeus Vannamei. Denominada Costa Negra, a área, com 428,74 quilômetros quadrados, está na região do Baixo Acaraú, e compreende o território dos municípios de Acaraú, Cruz e Itarema, no norte do Estado.

Atualmente, explica Sales, a região reponde pelo cultivo de nove mil toneladas, o equivalente a 36% da produção do crustáceo dessa espécie, no Ceará. Atualmente, o quilo desse tipo de camarão tem preço médio ao consumidor final da ordem de R$ 18,00, variando de R$ 12,00 a R$ 60,00, dependendo do tamanho, que após um ano de cultivo pode chegar até 60 gramas por unidade.

Festival

Para difundir a qualidade e o potencial econômico do camarão Costa Negra no Nordeste, a ACCN lança hoje, à noite, em Fortaleza, a terceira edição do Festival Internacional do Camarão da Costa Negra (“Grand Shrimp Festival”) e o III Encontro do Arranjo Produtivo Local da Carcinicultura do Litoral Oeste. Paralelos, os dois eventos acontecerão entre os dias 11 e 13 de novembro próximo, na Fazenda Cacibas, em Acaraú, no litoral norte.

Nos três dias do evento, haverá reuniões da Câmara Setorial do Camarão, palestras sobre Arranjos Produtivos Locais da carcinicultura do litoral oeste, “workshops” gastronômicos e seleção de pratos à base de camarão por “chefs” convidados e o casamento do crustáceo com vinhos e outros ingredientes.

Produção

25 mil toneladas de camarão de cativeiro é a perspectiva de produção da ACCN, para 2011, no Ceará. Demanda será o dobro

MAIS INFORMAÇÕES
O 3º Festival Internacional do Camarão será lançado hoje, às 19 horas, no Boteco Praia, na Avenida Beira-Mar, em Fortaleza

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1054397

Atenciosamente,

Ricardo Campos
Eng. de Pesca 13145 CREA/CE
Skype: ricardoncf
Twitter: @Aquanordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *